Exames

Exames e Procedimentos

Lista de exames e procedimentos que realizamos:


Eletroneuromiografia

A eletroneuromiografia é um exame diagnóstico para afecções que acometem os nervos e os músculos. Nele é avaliado o sistema nervoso periférico que compreende o cordão anterior da medula espinhal, as raízes nervosas, os plexos, os nervos periféricos, a junção neuromuscular e os músculos. O exame é composto pela neurocondução (realizada com estímulos elétricos nos nervos) e pela miografia (realizada com eletrodo de agulha nos músculos); auxilia a determinar o local, a gravidade e o prognóstico de lesões como polineuropatia, síndrome do túnel do carpo, radiculopatias, síndrome de Guillain-Barré, esclerose lateral amiotrófica e miopatias, entre outros.

O objetivo do exame é identificar a lesão, promover informações sobre a fisiopatologia, analisar o grau de comprometimento e prognóstico para, assim, ser aplicado o tratamento adequado.

Potencial Evocado (PE)

Potencial evocado é um exame neurofisiológico que avalia a condução dos impulsos nervosos ao longo das vias sensoriais (olhos, ouvidos ou pele). No caso específico do Potencial Evocado Somato-Sensitivo (PESS), são avaliadas as respostas obtidas no cérebro após o estímulo dos nervos sensitivos dos membros superiores (MMSS) e inferiores (MMII), podendo-se mensurar o nível de formigamento e fraqueza nesses membros.

O PESS é um exame ambulatorial onde são utilizados eletrodos conectados ao couro cabeludo e aos MMSS e/ou MMII, que auxilia a detectar e monitorar a evolução de algum distúrbio do sistema nervoso como por exemplo, a esclerose múltipla.

Image

Neuromodulação - Estimulação Magnética Transcraniana (EMT)

É um procedimento não invasivo, realizado através de um aparelho que produz um campo magnético que atua sobre as células nervosas cerebrais. Tem sido indicado no diagnóstico e tratamento de doenças psiquiátricas e neurológicas como depressão, síndrome de Parkinson, distonia, esquizofrenia, distúrbio do movimento, bipolaridade, ansiedade e outras.

Este tratamento requer que o paciente passe por uma avaliação médica prévia, normalmente feita por um neurologista ou psiquiatra. É realizado através de sessões onde é feita a estimulação magnética transcraniana.

Aplicação de Toxina Botulínica Guiada por Ultrassom e Eletromiografia

A toxina botulínica, amplamente utilizada na área estética, é também uma importante ferramenta terapêutica para reabilitação de pacientes que apresentam hipertonia muscular, como nos quadros de espasticidade e distonia. A espasticidade é causada por lesões no sistema nervoso central (Ex.: AVC, lesão medular, esclerose múltipla, paralisia cerebral etc.). A distonia, movimentos involuntários em segmentos ou generalizados no corpo, possui várias etiologias como, por exemplo, a genética. Além da hipertonia muscular, a toxina pode ser usada em outros distúrbios de movimentos como na Doença de Parkinson, enxaqueca, sialorreia (salivação excessiva), hiperidrose (sudorese excessiva), entre outros.

A medicação atua, basicamente, no relaxamento de determinada musculatura. Ela é aplicada por meio de injeções intramusculares, proporcionando, dentro de alguns dias, melhora da rigidez e/ou dos movimentos involuntários sendo possível ao paciente maior facilidade para as atividades funcionais do seu dia-a-dia, melhora da marcha, posicionamento, dor, uso de órteses, prevenção de deformidades etc. Associado a esta terapia, é indicado um acompanhamento multidisciplinar para atingir, ao máximo, os objetivos funcionais de cada paciente.

Acupuntura Tradicional, Quiroacupuntura e Ryodoraku

Acupuntura é uma técnica milenar chinesa que utiliza agulhas finas, praticamente indolores, que são colocadas em pontos no corpo, definidos de acordo com a doença a ser tratada.

A acupuntura trata diversas patologias do ser humano; pode ser utilizada, com excelente resultado, para analgesia (diminuir o quadro de dor) e para ansiedade (relaxando e melhorando a qualidade do sono).

Agulhamento seco

O agulhamento seco é outra maneira de tratar contraturas musculares; consiste no uso de uma agulha fina, como a utilizada na acupuntura, que é introduzida na contratura muscular com o intuito de relaxar as fibras musculares que estejam tensas e doloridas.

Semelhante à infiltração de anestésico, o agulhamento seco também tem como objetivo, relaxar o músculo e tirar a dor. A agulha utilizada neste processo é mais fina, portanto, machuca menos a pele e os tecidos atingidos, comparativamente, à infiltração. O médico fisiatra consegue determinar o melhor tratamento de acordo com o quadro de dor.

Infiltração Intra-Articular ou Periarticular

A infiltração intra-articular ou periarticular é a aplicação de medicamento (ácido hialurônico e/ou corticoide) dentro ou ao redor da articulação óssea.

Este é um procedimento para tratar problemas articulares como desgaste ósseo e osteoartrite, inflamação da articulação ou controlar a dor. As articulações mais comumente tratadas são joelho, quadril e ombro.

Infiltração Muscular

A infiltração muscular é uma aplicação de anestésico (semelhante ao utilizado pelo dentista) no músculo afetado, com o propósito de aliviar a dor e relaxar a musculatura que está contraída. O efeito de melhora da dor é observado imediatamente.

Este é um tratamento utilizado em casos de dores musculares causadas por contraturas de fibras musculares; aplicado em quadro de dor aguda ou crônica. Dor crônica é aquela que perdura por vários meses e, muitas vezes, apresenta piora progressiva. É comum que contraturas musculares sejam confundidas com problemas na coluna e/ou hérnias, sendo necessária uma avaliação médica para discernir o quadro.

Viscossuplementação

A viscossuplementação é a injeção de ácido hialurônico dentro da articulação (infiltração intra-articular).

A injeção de ácido hialurônico trata a inflamação articular e promove a proteção da cartilagem, diminuindo o impacto da articulação e o atrito. É um excelente tratamento para artrite/artrose de joelho e pode ser reaplicado anualmente. Quando aplicada fora da articulação, trata a tendinite e a epicondilite.

Bloqueio de nervo periférico

Muitas vezes um quadro de dor crônica lombar ou dor no ombro impede que o paciente realize uma fisioterapia adequada. É necessário, então, realizar o controle da dor antes do início da reabilitação. Na dor crônica ocorre uma sensibilização local; os bloqueios periféricos conseguem diminuir essa dessensibilização. É feita uma injeção com anestésico no nervo responsável pela sensibilidade da área dolorosa, sem causar efeito colateral como a sonolência, dando condição favorável a uma melhor reabilitação.

Procedimento aplicado principalmente em casos de dores crônicas com componente de sensibilização, nervo apresentando sensibilidade exacerbada e enviando com maior frequência, sinais de dor. Podemos bloquear os nervos do ombro em quadros de tendinopatias e bursite, e os nervos occipitais, normalmente associados a quadro de dor no pescoço ou dores lombares.

Image

Autorreabilitação Guiada (i-GSC)

A metodologia do GSC propõe um sistema de orientação de exercícios individualizado, o monitoramento de sua execução por meio de consultas sistemáticas e o uso de um aplicativo disponível em celulares (i-GSC). A utilização dessa tecnologia que é inovadora e fácil de usar, contribui para que a motivação e autonomia sejam valorizadas e preservadas, garantindo a busca contínua pela funcionalidade e qualidade de vida. O GSC é indicado nas condições neurológicas que demandem um acompanhamento de fisioterapia por longos períodos.

O GSC é indicado nas condições neurológicas que demandem um acompanhamento de Fisioterapia por longos períodos.

O acidente vascular cerebral (AVC) é uma patologia muito frequente e requer um programa de reabilitação multidisciplinar. Após a finalização da reabilitação, é fundamental que as pessoas acometidas prossigam com a prática regular de exercícios.

Terapia por Ondas de Choque

Essa terapia provoca o aumento da vascularização e nutrição da área tratada e diminui a inflamação local, ajudando assim na regeneração do tecido e na diminuição da dor. O efeito analgésico da terapia é sentido imediatamente na aplicação e permanece por um longo período.
Dentre as patologias mais tratadas temos por exemplo: tendinites de ombro, joelho (patelar), tornozelo (aquileu), fasceíte plantar, inflamação na sacroilíaca, dores neuropáticas, dores cervicais e lombares por doenças osteomusculares.
Atualmente a onda de choque é usada também com sucesso para problemas de ereção, após avaliação cuidadosa por médico Urologista – é fundamental consulta anterior ao procedimento para avaliar se o seu caso é indicado para tal método. A onda choque produz efeitos no pênis que recuperam parte da capacidade de manter ereção satisfatória para o ato sexual. Tal método já é recomendado inclusive por consensos internacionais, como o último posicionamento de 2020 da Sociedade Europeia de Urologia.

O tratamento de ondas de choque focal é um tratamento novo e consiste em uma onda mecânica, intensa e rápida, como um impacto no local da dor. 
A onda de choque focal atinge a profundidade de até 5 cm da pele, sendo um excelente tratamento não invasivo para as tendinopatias e patologias osteomusculares.